Se você deseja evitar as doenças do coração é fundamental a adoção de bons hábitos alimentares.

Mudar os hábitos ajuda a prevenir doenças do coração

Nem sempre é simples, mas se você quer evitar as doenças do coração é fundamental a adoção de bons hábitos alimentares. De acordo com o cardiologista Sanderson Cauduro, o mais importante é a pessoa se decidir a mudar,  além de adotar um novo padrão de alimentação somado à prática de exercícios físicos diários.

“Alimentação saudável, com dieta balanceada e baixa concentração de sódio e açúcares. E ainda, 150 minutos de exercícios físicos por semana – uma média de 30 minutos por dia, sem contar o fim de semana, podem evitar as doenças do coração. São medidas simples, que feitas agora podem fazer a diferença na vida futura”, avalia o cardiologista.

Alimentação saudável reduz risco de doenças cardíacas

Vale salientar que as doenças do coração são as principais causas de óbitos no Brasil. Cerca de 300 mil pessoas sofrem infartos todos os anos, sendo que em 30% dos casos o ataque cardíaco é fatal. Além disso, as doenças cardiovasculares são responsáveis pelo dobro de mortes causadas pelos mais variados tipos de câncer.

Veja 6 dicas do cardiologista para ajudar a prevenir as doenças do coração:

1 – Controle o seu peso: o sobrepeso e a obesidade podem desencadear doenças. Como: diabetes, colesterol alto e hipertensão, o que faz com que os riscos de doenças do coração aumentem.

2 – Evite fumar: o tabagismo é um dos principais causadores de doenças, como a famosa pressão alta, infarto e AVC.

3 – Alimentação saudável: inclua em sua dieta frutas e verduras. Evite o consumo exagerado de carnes vermelhas, embutidos e açúcares.

4 – Exercícios físicos: 150 minutos por semana (30 minutos cinco vezes por semana).

5 – Controle os fatores de risco: obesidade, diabetes e hipertensão.

6 – Consulte o cardiologista e faça exames regularmente: avaliações periódicas são fundamentais, principalmente para descobrir precocemente o risco de doenças do coração. Exames de sangue ajudam na identificação de anormalidades nos níveis de colesterol e glicemia. Outros exames como eletrocardiograma podem ser solicitados de acordo com as características de cada indivíduo.