Ovo é saudável? Saiba como o alimento pode fazer parte da dieta

Cada vez mais as pessoas querem uma alimentação nutritiva e buscam opções saudáveis para incluir nas refeições do dia a dia. De acordo com a nutricionista Lúcia Endriukaite, o ovo é considerado um dos alimentos mais completos. “Pode ser um importante aliado nessa busca por uma vida saudável, proporcionando muitos benefícios à saúde”, afirma.

A especialista ressalta que é um alimento simples de preparar e fácil de ser encontrado em mercados e padarias. Além disso, possui características que trazem muitos benefícios para a saúde. Confira:

É um alimento completo

Depois do leite materno, o ovo é considerado o alimento mais completo em termos nutricionais. Em média, um ovo tem apenas 70 calorias e possui vitaminas A, D e E, ácido fólico, além de diversos minerais.

É bom para a gestação

Segundo Lúcia, a gema do ovo é excelente fonte de colina, essencial para o desenvolvimento do sistema nervoso central e para a prevenção de anomalias fetais. Dois ovos por dia correspondem à metade das necessidades diárias de uma gestante.

Rico em proteínas

As proteínas de alta qualidade do ovo contribuem para a sensação prolongada de saciedade e para manter a energia do organismo. “Além disso, favorecem o ganho de massa muscular e previnem a perda de massa magra em pessoas idosas”, ressalta a nutricionista.

Possui componentes antioxidantes

Lúcia explica que o ovo tem ação antioxidante, contém os carotenoides, luteína e zeaxantina, que dão cor à gema. “Essas substâncias protegem os olhos da luz solar, evitando a degeneração macular relacionada à idade”, comenta.

É fonte de vários minerais importantes para o organismo

De acordo com a especialista, o ovo possui micronutrientes fundamentais para o organismo, que participam de forma intensa na função estrutural de músculos e ossos, transmissão de impulsos nervosos e transporte de nutrientes. “O ovo contém vários minerais como cálcio, ferro, zinco, fósforo, potássio, magnésio, sódio e quantidade expressiva de selênio”, comenta Lúcia.

Fonte: Instituto Ovos Brasil